Espaço de comunicação de ideias e de práticas. Incentivo ao diálogo, à reflexão crítica sobre temas inter e transdisciplinares. Divulgação de artigos, acontecimentos, atividades de formação organizadas pelo CFAE e escolas associadas.
Quinta-feira, 17 de Maio de 2012
Projetos

PROJETO “ TURMA MAIS “ NO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA CORDINHA NO ÂMBITO DA INICIATIVA “ MAIS SUCESSO ESCOLAR” 

 

ENQUADRAMENTO DO PROJETO

 

No ano letivo 2008/2009 implementou-se no Agrupamento de Escolas da Cordinha o “ Projeto Turma Mais “ que mereceu a aprovação e o reconhecimento do seu cariz inovador por parte da Direção Regional de Educação do Centro. Tendo em conta a experiência enriquecedora alcançada,
designadamente o bom trabalho realizado pelos docentes, a satisfação generalizada por parte dos Encarregados de Educação e a melhoria efetiva das
aprendizagens e dos resultados escolares dos alunos envolvidos, a direção do agrupamento decidiu candidatar-se ao projeto “Mais Sucesso Escolar”, em junho de 2009, da iniciativa da Direção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular, com o projeto “ Saber Mais”, o qual foi selecionado e reconhecido pelo júri. Este projeto insere-se na tipologia “ turma Mais”, prevendo, na candidatura apresentada, a contratação de uma psicóloga com o intuito de apoiar alunos envolvidos no projeto com mais dificuldades de aprendizagem / fracas expectativas escolares, bem como sensibilizar os pais para a importância da formação académica numa futura integração profissional e transmitir-lhes técnicas de apoio aos seus educandos nas tarefas escolares propostas para casa. No presente ano letivo, o projeto abrangerá os 7º e 8º anos de escolaridade, de acordo com o protocolado com a equipa responsável, nas disciplinas de Língua Portuguesa, Inglês, Matemática (ambos os anos), e nas quais se tem verificado, nos últimos anos letivos, taxas de insucesso consideráveis e / ou dificuldades de aprendizagem por parte dos discentes.
Estas turmas, sem alunos fixos, de frequência temporária, agregam elementos com algumas características comuns, provenientes ou não da mesma turma de origem. Com cada grupo de trabalho serão desenvolvidas, ao longo do ano letivo, atividades específicas que permitirão a melhoria do desempenho desses alunos e progressos efetivos na aprendizagem dos conteúdos lecionados. Em traços gerais podemos considerar que os objetivos fundamentais do projeto são:

-  Melhoria do desempenho escolar dos alunos integrados no projeto, em que uns desenvolverão atividades de enriquecimento e outros realizarão tarefas que visam superar as suas dificuldades;

-  Possibilitar a todos os alunos o trabalho conjunto com outros colegas que apresentam ritmos de aprendizagem semelhantes;

-  Aumentar a integração sócio-escolar e de autoestima aos alunos com mais dificuldades de aprendizagem e/ou pouca motivação;

-  Melhorar a disciplina e o comportamento da turma, tendo em conta a redução do grupo de alunos, quer na turma de origem quer na “Turma Mais”;

  

1.LINHAS GERAIS ORIENTADORAS DA ORGANIZAÇÃO E DO FUNCIONAMENTO DO PROJETO

 

1.1.CONSTITUIÇÃO DOS GRUPOS 

 Aos docentes que lecionam as turmas, por proposta do Coordenador da “Turma Mais” de cada ano (7º e 8º anos), e no seio dos respetivos conselhos de turma, compete criar os diferentes grupos de alunos agregados por algumas características relativamente semelhantes. A formação destes grupos é feita, essencialmente, a partir das disciplinas que integram o projeto, mas também de outras disciplinas do currículo. Relativamente à formação dos grupos, apresenta-se as seguintes hipóteses:

1º PERÍODO - 1ªparte  

Alunos de nível 4+ ou 5
frequentam a turma “Turma Mais “ para criar expectativas positivas e para incentivar os melhores alunos a atingirem / manterem patamares de exigência. Os restantes alunos ficam nas turmas de origem, podendo os docentes aprofundar o conhecimento dos alunos médios e com dificuldades, os alunos manterem o seu ritmo de aprendizagem e permitir aos docentes identificar aqueles que poderão beneficiar de um reforço nas aprendizagens na 2ª metade do 1º período.  

1º PERÍODO – 2ª parte  

Os alunos que ficaram retidos, com indicadores de desempenho de  nível 2 ou 3 – ingressam na “Turma Mais” a fim de recuperarem as suas dificuldades, enquanto os de nível 5 regressam à turma de origem na qual se encontram os de nível 4.   

____________________________________________________________________________________________

2º PERÍODO – 1ª parte  

Os alunos de nível 3+ ou 4 vão para a “ Turma Mais “ com o intuito de melhorarem o seu desempenho, enquanto nas turmas de origem permanecem os estudantes com um melhor desempenho e aqueles com maiores dificuldades. Nas turmas de origem podem formar-se grupos de trabalho em que os melhores alunos (nível 5) poderão explicar os conteúdos aos colegas que evidenciarem maiores dificuldades (nível 2 ou 3-), o que lhes possibilita apropriar-se melhor dos conteúdos ao terem de os transmitir e explicar.

2º PERÍODO – 2ª parte  

Os alunos de nível 3 ingressam na “ Turma Mais “ a fim de recuperarem das suas dificuldades ou melhorarem o seu desempenho, enquanto os de nível 4 regressam às turmas de origem.

___________________________________________________________________________________________

3º PERÍODO

Os alunos em risco de retenção são convidados a frequentar a “ Turma Mais “, até ao final do ano letivo, desde que cumpram um requisito: têm de estar interessados em progredir e melhorar as suas aprendizagens. O objetivo é recuperar os resultados escolares dos alunos com desempenhos mais fracos, garantindo, assim, taxas efetivas de sucesso e qualidade das aprendizagens lecionadas.  

NOTA:
Cada grupo formado frequentará a turma “TURMA MAIS” durante, sensivelmente, seis semanas.

 

Perante a enunciação de exemplos de grupos de trabalho atrás expostos, o que é verdadeiramente significativo é que estes grupos apresentem características de trabalho e expectativas algo semelhantes e, consequentemente, permitam implementar métodos e estratégias de
trabalho muito específicas tendentes à melhoria efetiva / superação das suas dificuldades individuais e, concomitantemente, alcançar melhores resultados escolares. Esses alunos, temporariamente, ficarão sujeitos a um novo horário. Finda a sua permanência no projeto, o grupo
retomará o horário da sua turma de origem. No decorrer do trabalho com um determinado grupo é, perfeitamente possível, que se possa proceder a
reajustamentos de participantes nas “Turma Mais” de um determinado ano de escolaridade para que estas e as de origem tenham um melhor funcionamento e uma dinâmica de trabalho mais eficaz e harmoniosa.

 

1.2. FREQUÊNCIA DO PROJETO POR PARTE DOS ALUNOS

1.2. 1. A frequência deste projeto, por parte dos discentes, é voluntária. No presente ano letivo os Diretores de Turma deverão recolher as respetivas autorizações na reunião de receção, no início do ano letivo, comunicar aos Encarregados de Educação o horário semanal da “turma Mais” e dar igualmente conhecimento do primeiro grupo que frequentará essa turma. 

 

1.3. PROFESSORES DA TURMA MAIS

1.3.1. Para o bom funcionamento do projeto, o professor de uma determinada disciplina envolvida no projeto leciona à totalidade das turmas desse ano de escolaridade.

 

1.4. PLANIFICAÇÕES /LECIONAÇÃO DOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

1.4.1. A planificação dos conteúdos curriculares a lecionar e as atividades / estratégias de aprendizagem deverá ser diferenciada e estar adequada a cada grupo de alunos que passa pela “ Turma Mais”. Outro dado relevante é que cada grupo específico de alunos, durante o tempo em que integrar o Projeto “Turma Mais”, continuará a trabalhar os conteúdos programáticos que a sua turma de origem está a desenvolver, beneficiando, no entanto, de um apoio mais individualizado, dado que se encontra integrado num grupo de trabalho que apresenta alguma homogeneidade, além de que não vê aumentada a sua carga horária semanal, pois quando estiver a ter, por exemplo, a disciplina de Língua Portuguesa na “Turma Mais”, não estará
a ter essa disciplina na turma de origem. (Observar o horário da “Turma Mais”).

 

1.5. LIVRO DE PONTO DA TURMA MAIS

1.5.1. A “Turma Mais” integrará alunos provenientes de diferentes turmas de um determinado ano de escolaridade. Para o efeito haverá um livro de ponto de turma específico para o registo de sumários, com uma numeração própria e diferente da turma de origem, no qual serão registadas as ausências às aulas por parte dos alunos, sendo estas consideradas no total de faltas dadas por disciplina. Neste livro de ponto será sempre averbada uma listagem dos alunos que frequentam a “Turma Mais” num determinado período de tempo ao longo do ano letivo. Compete ao Diretor de Turma respetivo efetuar o levantamento das ausências dos discentes quer na turma de origem quer na “Turma Mais” e lançá-las no programa de alunos.

 

1.6. AULAS PREVISTAS /DADAS E ASSISTIDAS NO ÂMBITO DA IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO

1.6.1. Relativamente a esta questão e a fim de facilitar o processo aos diretores de turma, a previsão das aulas da “turma mais” será igual à das
turmas de origem, devendo apenas ser efetuado o levantamento das aulas dadas pelo docente da disciplina, assim como as ausências por parte dos alunos (turma de origem e “turma mais”). Caso surja alguma discrepância nessa contagem será registada, se necessário, uma anotação no registo de avaliação por período.

 

1.7.AUSÊNCIA DO PROFESSOR RESPONSÁVEL PELA LECIONAÇÃO DE UMA DISCIPLINA NA “ TURMA MAIS “  

1.7.1. No caso de ausência de um determinado docente de uma disciplina da “ Turma Mais “, os alunos deverão dirigir-se para a sala em que está o resto do grupo -turma a ter outra disciplina. Esta frequência será considerada uma AOE (atividade de ocupação educativa), devendo ser marcada falta, se o aluno não se apresentar, e contabilizá-la na disciplina em que o professor faltou. 

Exemplo: metade da turma do 8º B vai ter Inglês +, mas a docente faltou. Como a outra metade está a ter L. Portuguesa, o primeiro grupo de alunos deverá ir a L. Portuguesa, sendo que na contabilização das aulas dadas e assistidas, esta aula será considerada uma atividade de ocupação educativa, no âmbito da disciplina de Inglês. 

1.8.REUNIÕES INTERCALARES / REUNIÕES DE AVALIAÇÃO/ AVALIAÇÃO DOS ALUNOS

1.8.1. As reuniões intercalares a serem realizadas deverão coincidir com a mudança de grupo de alunos na “turma mais”. Para tal é de extrema importância que todos os professores tenham informações precisas sobre o desempenho dos diversos discentes aquando da reunião. Este fator é fundamental, visto que permitirá definir, de forma inequívoca, ao conselho de turma, quais os discentes a ingressar na “Turma Mais “ num determinado período do ano letivo. Por conseguinte deverá haver, pelo menos, uma avaliação formal para um determinado grupo de alunos durante a sua permanência na “turma mais”.

Nota: As provas de avaliação deverão ser realizadas na turma de origem, quando estiverem todos os alunos da turma, e revestir o mesmo grau de
exigência, pois só assim se poderá constatar se houve efetivamente progressos, quer dos alunos mais fracos quer dos medianos para um patamar mais elevado, bem como da manutenção dos excelentes resultados dos melhores. Face ao exposto o que é realmente importante é que as atividades desenvolvidas com os diversos grupos na “ Turma Mais “ sejam diferenciadas e específicas, atendendo às capacidades e características individuais dos discentes.

Nota 2: É importante que na ordem de trabalhos das reuniões das turmas envolvidas haja um ponto específico relativo à “Turma Mais: “Avaliação do desempenho dos alunos envolvidos no projeto “Turma Mais”.

 

1.9.MUDANÇAS DE GRUPOS

1.9.1. Quando se efetua a mudança de grupos deverá haver especial cuidado com a proposta de trabalhos de grupo ou de caráter individual no seio da “ Turma Mais”, no que concerne ao respetivo tempo de realização. No caso de visitas de estudo marcadas para uma turma deverão ser contemplados todos os alunos (turma de origem e “Turma Mais”).

 

1.8. RESULTADOS ESCOLARES EXPECTÁVEIS

1.8.1. O objetivo fundamental deste projeto, de acordo com o consignado no Projeto Educativo do Agrupamento, é promover a melhoria das
aprendizagens dos discentes e contribuir para o sucesso educativo dos alunos. Por conseguinte é importante relembrar aos discentes que todos passarão pela “Turma Mais” ao longo do ano em função do grau de desenvolvimento das competências essenciais das disciplinas envolvidas no projeto. Os resultados práticos deste projeto serão verificados após a realização das avaliações formais destes alunos nas suas turmas de origem e/ou no decorrer de trabalhos realizados na “Turma Mais”. No final do ano letivo será elaborado um relatório que reflectirá os progressos alcançados. A nível de resultados escolares, é esperado e desejável que se consiga reduzir um terço da taxa de insucesso verificada no ano letivo anterior, em cada ano de escolaridade envolvido no projeto.

 1.9. IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO

1.9.1. Relativamente à implementação do projeto, este obedece ao estipulado no quadro abaixo apresentado:  

 

Anos  letivos / Disciplinas / Anos de escolaridade

Língua
  Portuguesa

Inglês

Matemática

Ciências
  da Natureza

2009/2010

6º e 9º  anos

6ºe 9º anos

6º e 9º  anos

---------------

2010/2011

5º e 7º  anos

5º e 7º anos

5º e 7º  anos

5º ano

2011/2012

7º e 8º  anos

7º e 8º anos

7º e 8º  anos

---------------

2012/2013

 

 

 

 

 

2. COORDENADOR (A) DA “TURMA MAIS”

2.1. Ao Coordenador da “Turma Mais”, em articulação com cada Diretor de Turma, cabe motivar os alunos e os Encarregados de Educação para que a
frequência voluntária do projeto seja aceite e encarada como uma vantagem e um fator promotor de sucesso educativo. Cada coordenador terá uma hora semanal, retirada da respetiva componente não letiva, para a execução das respetivas tarefas.

 

2.2. O Coordenador do Projeto “Turma Mais” informará, obrigatoriamente, cada grupo de alunos dos objetivos da sua passagem pela turma, motivando-os para a realização de um trabalho de maior qualidade com vista à obtenção de melhores resultados escolares. 

2.3. O Coordenador do Projeto “Turma Mais”, conjuntamente com os Diretores de Turma das turmas envolvidas no referido projeto, procederão a
reuniões intercalares de avaliação do desempenho/comportamento de cada grupo.

 

2.4. O Coordenador do Projeto “Turma Mais” deverá, durante o decurso das reuniões de avaliação de final de período, analisar os resultados obtidos
pelos alunos, reorganizar e sugerir ao conselho de turma as propostas de frequência do próximo grupo e motivar os professores para o trabalho a
desempenhar com esses discentes.

2.5. O Coordenador do “Projeto Turma Mais”, em colaboração com cada Diretor de Turma, será o «rosto visível» da harmonização de todos os
procedimentos que promovam o sucesso de um maior número de alunos adstritos ao projeto.   

2.6. Pelo facto de se tratar de um projeto inovador, poderão surgir alguns constrangimentos e vicissitudes decorrentes da sua aplicação; todavia o
trabalho em grupo, solidário e harmonioso, será, inequivocamente, o caminho para o sucesso não só do projeto, mas, particularmente, dos alunos envolvidos, das suas aprendizagens e progressos individuais. Há, por isso, que afirmar que a grande virtude deste projeto é gerar expectativas positivas na comunidade educativa, no entanto é importante gerir adequadamente todo o processo.

 

Para finalizar este singelo “ manual de orientações” que se espraia naturalmente nas boas práticas do quotidiano dos professores envolvidos, apresenta – se uma frase do célebre cientista Albert Einstein que deverá nortear a atuação dos profissionais da educação e servir de estímulo:

 

"O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário."

 

Bom trabalho!

 

Ervedal daBeira, 08 de setembro de 2011

 

O Coordenador do Projeto “Turma Mais”

 Carlos Manuel Maceira de Campos



publicado por cfaeci às 11:55
link da publicação | comentar | favorito

CFAE Coimbra Interior
pesquisar assuntos
 
Novembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


Tema

eu...e as formações realizadas

eventos

projetos

todas as tags

publicações recentes

...

Eventos

Artigos e Comunicações

Artigos e Comunicações

Eu... e as formações real...

Eventos

Eventos

Eventos

Eu... e as formações real...

Eventos

Eu... e as formações real...

Eu... e as formações real...

arquivos

Novembro 2017

Maio 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Maio 2015

Fevereiro 2015

Junho 2014

Maio 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

links
blogs SAPO
subscrever feeds